Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

a thousand books

Sex | 28.09.18

Bye, setembro!

Setembro está mesmo a chegar ao fim. O outono parece que já começou, mas ainda não demos pela sua presença e, por isso, vamos aproveitando os dias quentes. {Nunca pensei dizer isto, mas a verdade é que as camisolas giras de outono estão a chamar por mim, ups} Setembro chegou, como já esperávamos, com novos desafios. O último ano de mestrado está mesmo a começar. O estágio curricular já corre a bom ritmo. Os tempos livres já começaram a ser aproveitados da melhor forma, para conseguir fazer tudo aquilo que já fazia antes, e ainda mais umas quantas coisas.

setembro11.jpeg

Experiências Culinárias e Gastronómicas

Antes que se questionem, claro que comi pizza em setembro, e saída diretamente do meu forno. Mas foi mesmo a tarte de amêndoa da minha mãe que andou a pairar nos meus pensamentos, até hoje. E embora a frequência de idas a novos sítios tenha diminuído, nem por isso deixam de ser escolhas fantásticas. A Fauna e Flora  conquistou as duas amigas, e bloggers, que descobriram uma paixão comum: a boa comida. O HeyMate, Gelado Rolinho foi a verdadeira razão pela tarte de amêndoa andar a rondar os meus sonhos mais profundos. E a melhor forma de terminar as férias de verão. E, como não há nada melhor que aproveitar os dias quentes para ir lanchar a um dos meus sítio preferidos, levei a Inês ao L’Eclair – ela adorou o l’eclair de frutos vermelhos. E eu fiquei demasiado fã do l’eclair de lichia, lima e hortelã, perfeito para os dias quentes.

setembro9.jpg

setembro2.JPG

setembro3.jpg

setembro10.jpeg

Filmes, Séries e Livros

Os primeiros dias de setembro servem, regra geral, para repor as energias que se foram dissipando durante os longos dias de praia, de passeios e de novas experiências. E, como por aqui não precisamos de pipocas para vermos bons filmes, e soltar umas gargalhadas sonoras quando assim é necessário, vimos o Stronger – A força de viver {ideal para todas as almas pessimistas, e para todos os otimistas também}, o Assalto ao Arranha-Céus {perfeito para quem gosta de tiros, ação e cenas de cortar a respiração}, Dia e Noite {mesmo a pensar nos românticos que não vivem sem um q.b. de ação no seu dia a dia}, Renegados {um filme de cortar a resperição, que espelha muito bem o amor e a dedicação que as forças militares empregam em todas as suas missões} e Amor Radical {especialmente dedicado aos românticos incuráveis, que acreditam no amor à primeira vista}.

 

Quanto às séries, terminei a primeira temporada do This is us, e acho que a nossa relação ficará por aqui {perdoam-me os fiéis fãs que choram em todos os episódios, mas não senti qualquer ligação}; 13 Reasons Why foi devorada em 15 dias {1 semana para cada temporada}, e acho que isso diz tudo sobre a forma como nos agarra; Chicago P.D. é aquela série que tapa as esperas por todas as outras que estão mesmo a recomeçar. E, para terminar a onda de pseudo-intelectualidade, setembro foi o mês de terminar A Contadora de Histórias, e de começar Os Loucos da Rua Mazur.

 

contadora_histórias.jpg

Do Cristo Rei às Caldas da Rainha

E se setembro começou com uma visita ao Cristo Rei que valeu pela vista magnífica sob aquela que é a melhor cidade, Lisboa menina e moça; os últimos dias do mês da rentrée foram passados na Serra do Bouro, para um convívio com a família, e um passeio pelo jardim das Caldas da Rainha.

 

Setembro1.jpg

setembro4.jpg

setembro5.jpg

setembro6.jpg

setembro7.jpg

setembro8.jpg

E vocês, qual o melhor momento de setembro? E planos para outubro?

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.

Qua | 26.09.18

o creme da BeBeauty.

Não gosto de andar sempre a experimentar produtos, até porque tenho uma pele demasiado sensível. Vou à procura daquilo que é bom, que se adequa ao efeito que quero obter e que seja acessível à minha carteira. E, por isso mesmo, hoje venho falar-vos de um creme do Pingo Doce. Verdade nua e crua.

bebeauty4.jpg

Há muito que já queria um creme para o corpo que não me custasse “os olhos da cara”,e que durasse, pelo menos dois meses. E, se não fosse a caixa de publicidade com milhares de folhetos de supermercado, mesmo à porta do meu prédio, não teria chegado ao conhecimento da nova gama de skin caredo Pingo Doce {andar a passear pelo supermercado não é um hobbie, sorry}. Foi então que descobri o creme BeBeatuy, a 1,99€. Verdade, são 300 ml por tão pouco.

bebeauty2.jpg

O creme BeBeauty é um creme hidratante não só para o corpo, como também para as mãos e rosto {pele normal}. É ideal para aqueles que deveriam ser os nossos cuidados diários com a pele, hidratando-a em profundidade além de promover a melhoria da elasticidade da mesma. A sua fórmula com manteiga de karité é absorvida de imediato, deixando a pele suave e macia por muito tempo.

 

E vocês, têm algum creme essencial na vossa rotina que não trocavam por nenhum outro?

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.

 

Seg | 24.09.18

A tarte de amêndoa

Promessas são promessas. E eu cumpro todas as que faço. Por isso, nada melhor do que começarmos a primeira semana de outono {com dias ainda bem quentes, yupi!} com aquela que é a melhor tarte de todas as tartes. A verdade é que as amêndoas são o melhor snack que me podem oferecer. Em cru, ou torradas, perco-me completamente por amêndoas. E, quando se fala em tarte de amêndoa, o melhor mesmo é fazerem a receita a dobrar.

~ tarte de amêndoa ~

tarte_amendoa2.jpg

tarte_amendoa3.jpg 

Para a massa,

* 100 g de margarina

* 200 g de açúcar

* 200 g de farinha

* 2 ovos

 

Junta todos os ingredientes e amassa bem. Barra numa forma de fundo amovível com margarina e leva ao forno cerca de 20 minutos.

 

Para o recheio,

* 100 g de margarina

* 100 g de açúcar

* 200 g de amêndoa pelada laminada

* 1 dl de leite

 

Leva ao lume todos os ingredientes, em lume brando e deixa engrossar e alourar. Deita por cima da massa e leva novamente ao forno para caramelizar. Desenforma depois de morna.

 

Importante | A massa não deve ficar muito cozida para depois não ficar muito seca.

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.

Qua | 19.09.18

HeyMate // HeyTarte

Foi na última sexta feira {das minhas férias de verão} que peguei na minha mãe, e a levei a conhecer o HeyMate, Gelado de Rolinho. Um novo conceito apreciado por muitos, especialmente por bloggers e instragrammers, tal não é a capacidade fotogénica deste novo gelado que invadiu o meio digital. E ainda bem que assim é; se não fosse o instagram, os blogs e afins, muito provavelmente não descobria muitos dos sítios onde já fui muito feliz.

 

Fui muito feliz no HeyMate, na Rua Acácio de Paiva 4A, em Alvalade. Conseguir escolher uma única combinação de sabores, de entre todos aqueles que nos são oferecidos é um verdadeiro desafio. Fiquei indecisa entre o Bali {Kinder Bueno White, morango e leite condensado}, Suspiro de Morango {suspiros, morango e morango triturado} e o HeyTarte {Tarte de Amêndoa e raspas de lima}. E, como já devem ter percebido, a minha escolha recaiu sobre o HeyTarte, um tiro certeiro.

heymate::heytarte.jpg

heytarte::heymate.jpg

O gelado tem uma textura aveludada, é muito leve, e a combinação da tarte de amêndoa com raspas de lima não podia ter resultado melhor. A tarte de amêndoa é, sem tirar nem pôr, a tarte de amêndoa da minha mãe; por cada colher, cada recordação de infância que surgia. Oh mãe, se estás a ler isto, faz aí uma tarte de amêndoa para a minha sobremesa! {E depois conto-vos tudo sobre ela, por isso rezem por mim!}

 

As próximas combinações esperam por mim e, de preferência num fim de semana ou feriado – combinações de bolas de Berlim e pastéis de nata. Ao fim de semana podemos tudo!

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.

 

Seg | 17.09.18

Review | A Contadora de Histórias

| Com 4 ⭐︎ |

contadora_histórias.jpg

Há livros que nos mostram o principal motivo pelo qual devemos estar gratos todos os dias: a vida. Não é cliché. É mesmo assim. Não vivemos o Holocausto. Não sabemos o que é ter que passar por cima de corpos mortos a tiro. Não sabemos o que é ter que arrancar um dente com uma caneta roubada, só para não corrermos o risco de ir para a pior sala de espera – o hospital – daquele que foi considerado o Anus Mundi, ou Auschwitz como é mais conhecido.

 

Porque mais do que um livro que dá voz aos ainda sobreviventes do Holocausto, A Contadora de Histórias é uma obra de arte literária, que nos deixa sem fôlego a cada página virada. Uma narrativa intensa que fala sobre a força de viver, e a capacidade de perdoar, sem nunca esquecer. Uma narrativa intensa que fala sobre o amor sob as mais diversas perspetivas e, sobre o amor de mãos dadas com a traição.

 

Uma narrativa envolvente que nos conta três histórias que, apesar de diferentes, se cruzam de uma forma inevitável. Minka, a avó sobrevivente, que não fala sobre o seu passado, não porque o tenha esquecido, mas porque se recorda de todos os dias de sofrimento, de dor e de podridão daquela que foi a pior época da história da humanidade. Sage, a padeira de profissão, que vê na sua profissão o refúgio para a realidade da solidão, das más memórias e do peso que carrega pela morte da mãe. Josef Weber, um velhote que partilha as reuniões do grupo de apoio ao luto com Sage, com um segredo que vai deitar por terra {quase} tudo aquilo em que Sage sempre acreditou.  Na verdade, e independentemente daquela que será a decisão final, “há uma razão para a palavra “história” ter, no seu cerne, a narrativa de uma pessoa”.

 

E vocês, que livro andam a ler? 

beijinhos **

Não se esqueçam que estamos no instagramfacebook e bloglovin'.

 

Pág. 1/2